Franquia de Seguro Auto: como funciona?

Entenda uma das maiores dúvidas dos seguros automotivos!

Você sabe como funciona a franquia de seguro de carro? Se responder que não, fique tranquilo. Você não é a única pessoa que pensa dessa forma, já que o assunto parece ser um pouco complicado.

Felizmente, a questão é mais simples do que pode parecer. Basta entender qual é o conceito por trás dela para compreender como funciona, o que é importante para aqueles momentos em que seu carro se envolveu em um sinistro e você pode precisar acionar o seguro. Continue conosco para desmistificar este tema!

O que é a franquia de seguro de carro?

É um valor que deve ser pago quando é necessário acionar o seguro em casos de sinistro, ou seja, ocorrências que estão cobertas e determinadas especificamente na apólice.

Antes de partirmos para a parte da franquia de seguro de carro, é importante comentar justamente sobre o sinistro, outro ponto que os segurados e interessados também podem ter dúvidas.

Imagine, por exemplo, que a apólice do seu seguro o proteja contra colisões no carro. Em uma ida ao supermercado, você bate o carro. Isso é considerado como um sinistro.

O mesmo acontece com roubos e furtos, desde que esses itens estejam contemplados na apólice, entre outras coberturas que ela pode oferecer.

É importante destacar, portanto, que os sinistros são diferentes dos serviços de conveniência oferecidos nos seguros, como guincho, pane seca e carga de bateria. Esses serviços, que podem ser acionados a qualquer momento, também de acordo com o que está contemplado na apólice.

Pois bem, quando se aciona o seguro em caso de algum sinistro, é necessário pagar a franquia de seguro de carro, um valor, também contemplado na apólice, que precisa ser pago para que aquele serviço seja realizado.

Este valor é independente das mensalidades do seguro. Ou seja, mesmo que elas estejam em dia, o segurado precisa pagar a franquia para que o carro seja consertado no caso de uma colisão com perda parcial, quando não houve perda total do veículo.

Em outras palavras, via de regra, é preciso pagar a franquia sempre quando o bem puder ser separado, salvo em algumas exceções.

É importante esclarecer também que a Circular SUSEP nº 269, de 30 de setembro de 2004, da Superintendência de Seguros Privados, trata especialmente sobre as franquias. Ela estabelece, legalmente, como ela funciona, com todos os detalhes e respaldos técnicos devidos.

Quando é necessário pagar a franquia de seguro de carro? E quando não é?

Franquia de seguro auto

Alguns detalhes podem variar de acordo com cada seguro. Porém, geralmente, a ocasião em que o pagamento da franquia é devido é a colisão com perda parcial.

Suponha, por exemplo, que o seu carro tenha se envolvido em um acidente e você precise acionar o seguro para o registro do sinistro. O conserto, então, é estimado em R$ 15 mil, e a sua franquia é de R$ 2 mil.

Neste caso, você precisará pagar os R$ 2 mil da franquia, sendo que os R$ 13 mil restantes são de responsabilidade da seguradora.

Em outros casos, a franquia do seguro auto não precisa ser paga, como nos seguintes:

  • Danos a terceiros;
  • Acidentes com causas naturais (enchentes, explosões, raios, incêndios acidentais e afins);
  • Acidente com perda total.

Em relação aos acidentes, a franquia de seguro de carro só não deve ser paga quando houver perda total (o veículo não pode ser reparado). Outra ocasião é quando o valor do conserto é igual ou superior a 75% do valor do veículo, o que também é considerado como perda total.

Logo, por exemplo, se o veículo é avaliado em R$ 60 mil, qualquer conserto que seja de R$ 45 mil ou mais não exigirá o pagamento da franquia. Isso porque considera-se que houve perda total e, portanto, toda a indenização será paga pela seguradora.

Veja também: Seguro de carro: já pensou em pagar por um que seja realmente justo?

Como funciona a franquia do seguro da Thinkseg?

O seguro da Thinkseg é diferente, já que se enquadra na modalidade Pay Per Use, ou seja, o valor que você paga mensalmente depende de quanto o veículo for utilizado. Com os seguros tradicionais é diferente, pois o valor cobrado independe da distância percorrida naquele mês.

Porém, em relação à franquia de seguro de carro, o funcionamento é o mesmo dos seguros tradicionais. Ou seja, o pagamento é devido em colisões com perda parcial, ficando isento no caso de danos a terceiros, danos com perda total ou quando o conserto é de pelo menos 75% do valor do veículo.

Ainda assim, porém, a franquia se mostra como altamente benéfica para o segurado, já que ele sabe que aquele é o valor máximo que ele terá que desembolsar para qualquer sinistro que acontecer com o seu veículo e que estiver contemplado na apólice.

Há outra ocasião em que o seguro da Thinkseg também não demanda o pagamento da franquia, que é quando há danos aos vidros (pára-brisa, laterais e traseiro).

Neste caso, o acionamento é feito pela assistência de vidros, e não como sinistro, ou seja, não é preciso pagar pela franquia.

Saiba mais: Seguro Thinkseg x Seguro tradicional: saiba a diferença

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

Viu como a franquia do seguro de carro não é tão complicada?

Pode parecer que o assunto é um pouco complexo para quem não o conhece, mas basta uma explicação prática para esclarecer o tema e te deixar bem informado sobre quando é devido pagar a franquia.

Ainda assim, lembre-se que você sempre pode contatar o seu seguro para tirar as dúvidas sobre este e outros assuntos que não entender tão bem como funciona, tudo bem?

Depois de saber como funciona a franquia de seguro de carro, não deixe de conhecer mais sobre o seguro auto Pay Per Use da Thinkseg, o 1º do Brasil em que você paga realmente quanto usa. Assim, os valores sempre serão justos, e o melhor, geralmente bem abaixo do que é oferecido pelos seguros tradicionais!