Thinkseg
Mobilidade

Entregas com Bike Elétrica: uma boa saída para o meio ambiente

Compartilhe em:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
bicicleta elétrica mais barata

É fato que os serviços de entregas rápidas, o popular delivery, explodiu com a pandemia de Covid-19 e vive seu auge com a proliferação de aplicativos. Entretanto, hoje quase toda a totalidade dos profissionais entregadores utilizam as motocicletas em busca da agilidade, o que proporciona mais entregas e ganhos maiores.

Como sempre acontece quando uma tecnologia ou tendência se destacam, alternativas e adaptações vão sendo criadas de acordo com a necessidade de uma pessoa, grupo ou região. Com o delivery não foi diferente. Assim, com a bicicleta elétrica mais barata, ela ganhou destaque.

Menos motos, mais bicicletas

Segundo relatório da Associação Brasileira do Setor de Bicicletas (Aliança Bike), o mercado de bicicletas elétricas teve um crescimento de 28,4% em 2020 quando comparado ao ano anterior.  A entidade atribui parte do aumento da procura à mudança do perfil de uso dos veículos, com o boom do número de trabalhadores de delivery.

O iFood e a empresa de micromobilidade Tembici são algumas das empresas responsáveis por esta mudança de perfil. Ambas são parceiras no projeto iFood Pedal, que oferece aluguel de bicicleta elétrica mais barata para entregadores. A iniciativa começou em São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ) em meados de 2020 e, após um ano e mais de um milhão de entregas, foi estendida para Recife (PE), Salvador (BA), Brasília (DF) e Porto Alegre (RS). 

Emissões menores, ganhos maiores

“O projeto foi cocriado com entregadores parceiros e se provou sustentável e alinhado com o impacto operacional, ambiental e social que queríamos alcançar. Vimos consumidores e restaurantes atendidos de forma mais eficiente e os entregadores satisfeitos, com ganhos líquidos maiores que modais mais tradicionais, como motos”, explica Fernando Martins, Head de Inovação e Logística do iFood.

Os bikers entregadores que usam bicicleta elétrica mais barata recebem rotas mais curtas. Assim, otimizam ganhos e tempo de deslocamento. O aplicativo delimita o raio de entrega para cada restaurante e identifica quem estiver mais próximo. As bicicletas elétricas possuem pedal assistido, ou seja, o motor a bateria é acionado quando a bike é pedalada, sem acelerador, reduzindo o esforço do ciclista. A e-bike tem velocidade limitada a 25 km/h e bateria com autonomia de 60 quilômetros.

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

Metade das entregas sem poluir

O projeto iFood Bike oferece aos entregadores o aluguel através de um plano mensal (R$34,90) e semanal (R$9,90). No caso de tempo adicional, é acrescido um valor por tempo de uso. Os entregadores parceiros também podem utilizar as bicicletas compartilhadas da Tembici. E a ideia de colocar e-bikes nas entregas veio para ficar, uma vez que o IFood tem como meta alcançar a realização de 50% dos pedidos de delivery em modais não poluentes até 2025.

Entregas em no máximo 15 minutos com bicicleta elétrica mais barata

Outra startup que acreditou e investiu em entregas com bikes elétricas é a brasileira Daki, companhia que combina mercado totalmente digital com entrega rápida de produtos em até 15 minutos.

Os entregadores da Daki usam bicicletas elétricas da própria startup para o deslocamento, que é de no máximo quatro quilômetros. Além de não poluentes, as e-bikes se mostraram mais eficientes e econômicas que as motocicletas, cuja manutenção custa caro.

O novo unicórnio brasileiro

O reconhecimento e o sucesso vieram como um foguete. A Daki começou a operar em janeiro de 2021 e, apenas 10 meses depois, tornou-se um unicórnio. Ou seja, uma jovem empresa que atingiu o valor de mercado de US$ 1 bilhão. Com valor atual de mais de US$ 1,2 bilhões, é uma das mais rápidas do mundo a atingir a marca.

Atualmente, a Daki tem mais de 60 lojas entre São Paulo (SP), Campinas (SP), Guarulhos (SP), região do ABC Paulista, Rio de Janeiro (RJ) e Niterói (RJ). A meta é chegar a cem lojas nos próximos dois meses e passar a atuar em outros estados.

Quer economizar no seguro?

Os modais estão se eletrificando em busca de emissões zero e maior economia. O segmento de seguros também está em constante evolução e aposta em novas soluções. Sabia que já é possível fazer um seguro que você paga apenas quando usa?  

Hoje em dia, os seguros auto pagos por uso estão ganhando cada vez mais mercado. Eles funcionam como as assinaturas de serviços de streaming. Você paga uma taxa fixa todo mês e mais alguns centavos por quilômetro rodado.

O Pay Per Use é um serviço com formato parecido com o dos aplicativos de streaming, como Netflix, YouTube, Spotify, entre outros. O valor fixo da assinatura mais a quantidade de quilômetros rodados são debitados no cartão de crédito todos os meses.

Assim como nesses serviços, é possível cancelar e contratar o seguro Pay Per Use quando quiser, via app e sem burocracia. Mensalmente, é enviado um e-mail com uma proposta para continuidade do seguro Pay Per Use. Caso não tenha interesse em continuar,  o cancelamento é sem multas.

Pelo app Pay Per Use da Thinkseg, o cliente tem todas as informações do seu seguro, quantos quilômetros já usou no mês, além de acesso a assistência 24 horas e outras funcionalidades. 

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

10 dicas para andar de patins
Ao lado da bicicleta e do skate, os patins são um misto de esporte, exercício físico, locomoção e diversão...
Conheça o inDriver: app de Mobilidade Urbana que te dá liberdade de escolha
Presente no Brasil há cerca de três anos, o inDriver é mais uma opção de aplicativo de transporte individual....
Seguro de carro com interrupção: vale a pena?
Uma nova modalidade de seguro auto começou a se popularizar no Brasil. É o seguro que pode ser interrompido...
Confira os seis melhores patinetes elétricos de 2021
Sua vida gira em um raio de cinco quilômetros a partir da sua casa (trabalho, escola, faculdade, cursos, academia,...
3 apps que reduzem acidentes de trânsito
Nas provas de rali, cada carro leva uma dupla formada por piloto e navegador. Enquanto o primeiro dirige, o...
Bicicleta elétrica ou convencional: qual a melhor para você?
Um dos segmentos da economia brasileiro que mais cresceram durante a pandemia foi o de bicicletas. De acordo com...