Thinkseg
ThinkNews
Mobilidade
Auto

Trabalho híbrido e o uso de veículos

Compartilhe em:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
trabalho híbrido

A pandemia de Covid-19 trouxe mudanças significativas para o mercado de trabalho no mundo todo. Com o isolamento, o home office tornou-se padrão para uma grande quantidade de profissionais. E as empresas rapidamente constataram que trabalho remoto não representa queda de produtividade e sim contenção de despesas.

Para alguns, os ganhos em qualidade de vida foram muitos como:

  • Mudanças para cidades menores e mais tranquilas;
  • Contato mais próximo com a família;
  • Ambiente mais leve e sem pressão;
  • Mais tempo para prática de exercícios e outras atividades recreativas.

Assim, este novo modelo veio para ficar. Mesmo após o fim da pandemia, muitas corporações irão manter seus colaboradores em casa. O trabalho híbrido – em que o funcionário trabalha remotamente e comparece à empresa apenas alguns dias da semana – será muito mais comum do que se imagina.

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

Como fica o carro com o trabalho híbrido?

Diante disso, o papel do carro também muda, afinal ele já não será mais tão necessário no dia a dia das pessoas. Com menos deslocamentos diários, muitas famílias que possuíam dois carros já se desfizeram de um e conseguiram economizar bastante. Para aqueles que deixaram o carro na garagem, alguns cuidados são necessários e é possível economizar ainda mais! Confira nossas dicas.

1- Carro precisa rodar

Os carros foram feitos para funcionar. Existe o mito de que carro que roda pouco é melhor, porém não é bem assim. Muitos componentes precisam do calor, do movimento para funcionarem a contento. Parados, deterioram e têm sua vida útil reduzida. Pneus, óleo lubrificante do motor, sistema de arrefecimento, mangueiras e rolamentos em geral devem ser acionados para não apresentarem defeitos.

Se você optou por ficar com um carro na garagem, mas está rodando pouco, tente sair com ele pelo menos duas ou três vezes na semana. Ligue o ar condicionado ou o aquecedor, calibre os pneus, verifique o nível do óleo. Para quem estiver em trabalho híbrido, ir para o escritório com o carro alguns dias é uma boa oportunidade para colocá-lo para rodar.

2- Atenção ao óleo do motor

Pouca gente sabe, mas o óleo lubrificante do motor tem validade de seis meses. Com o tempo, mesmo que não seja usado, ele vai se oxidando e perdendo a capacidade de lubrificar. A curto prazo, o óleo vencido talvez não traga problemas. Porém, a longo prazo reduz a vida útil de várias peças móveis e pode resultar em gastos consideráveis.

Desta maneira, se o óleo não atingir a quilometragem recomendada pelo manual do proprietário para a troca, deve ser substituído pelo tempo. E com o modelo de trabalho híbrido, as chances de isso acontecer são maiores. Na dúvida, veja o que o fabricante do seu carro sugere.

3- O mesmo vale para as revisões na concessionária

As revisões obrigatórias também têm prazo, normalmente de um ano. Mesmo que o carro não complete 10 mil quilômetros no período, elas devem ser feitas para que a garantia de fábrica não seja perdida. E um carro com o livreto de revisões todo carimbado na concessionária sempre vai ter um valor de revenda maior.

4- Por que não um carro mais barato de manter?

Preço dos combustíveis em alta, IPVA mais caro devido à alta valorização dos carros usados em 2021, sem contar outras despesas que os carros dão. Enfim, nunca foi tão oneroso ter um carro no Brasil. Se você está rodando pouco, porque não optar por um modelo menor e mais econômico? Além da economia na hora de abastecer, haverá impostos, seguro e manutenções mais em conta.

E um carro mais barato não significa um carro pior. Existem inúmeros modelos super equipados, espaçosos e com baixo consumo que podem tranquilamente acomodar uma família com todo conforto. 

Um sedã compacto de R$ 50 mil no lugar de um SUV médio de R$ 120 mil representa uma economia anual entre R$ 5 mil e R$ 10 mil se colocarmos todas as despesas de um carro na calculadora.

5- Seguro Pay Per Use da Thinkseg é um aliado do seu bolso

Falando em contenção de gastos, é possível economizar bastante com o seguro do seu carro.

No Pay Per Use da Thinkseg, você paga somente quando usa o carro. Para quem está em trabalho híbrido, é uma excelente opção!

Funciona assim: um aplicativo faz toda a telemetria, calcula a quilometragem mensal e distingue o meio de transporte que você está usando (o próprio carro, aplicativos de transporte, ônibus, bicicleta ou a pé). Pelo app, você tem todas as informações do seu seguro, além de acesso a assistência 24 horas e outras funcionalidades. Outra vantagem é que você faz a contratação, a vistoria do carro e o cancelamento da apólice pelo próprio celular, sem necessidade de ligações ou atendimento pessoal.

Trabalho híbrido, compras por aplicativos com entregas em casa, menos compromissos. A sociedade já mudou os seus hábitos em razão da pandemia e o carro tem papel cada vez menos relevante na vida das pessoas. O seguro também já se adaptou à nova realidade e você pode ganhar com isso. Cote agora mesmo o seguro Pay Per Use da Thinkseg.

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

Carros autônomos: o que são, como funcionam e mais!
A indústria automobilística já deu um passo à frente com o desenvolvimento dos carros elétricos, cujas vendas estão crescendo...
Saiba como funciona o seguro para carro elétrico
Depois de bater recordes no último ano, a venda de carros eletrificados segue em alta em 2022. Houve uma...
Projeto de lei quer dispensar autorização do Detran para a customização de carros
Quase todo entusiasta de automóveis gosta de deixar o carro com “a sua cara”. A customização e personalização é...
Brasil comemora o Dia do Automóvel em 13 de maio
Todo dia 13 de maio é comemorado no Brasil o Dia Nacional do Automóvel e da Estrada de Rodagem....
Ônibus elétrico: conheça mais sobre esse tipo de transporte
Quem já andou pelas ruas de São Paulo alguma vez topou com um trólebus. O antigo coletivo, ainda em...
Como Londres está usando taxas em estradas para combater a poluição e a desigualdade
Berço da Revolução Industrial, a cidade de Londres sempre sofreu com a poluição. Nas últimas décadas, contudo, as emissões...