Thinkseg
Seguro

Simulador de seguro de carro: veja de forma simples e rápida quanto vai ser o seu

Compartilhe em:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Mãos masculinas segurando volante

Ter os valores em mãos é essencial para planejar o orçamento!

Você já deve ter procurado por um simulador de seguro de carro, né? Afinal, antes de contratar um serviço tão importante, é fundamental ter as cotações em mãos para tomar a melhor decisão possível.

Porém, você já se perguntou como essas cotações são feitas? Será que elas refletem mesmo a realidade? E agora, como proceder?

Caso tenha alguma dessas dúvidas, veio ao lugar certo! Vamos entender melhor como as simulações funcionam, quando confiar nelas e, além disso, o que fazer para economizar no seu seguro.

Como funciona um simulador de seguro de carro?

Literalmente através de uma simulação. Isso significa que os valores são estimados e, por isso, podem ser diferentes do que será cobrado no momento da contratação.

O primeiro ponto a ser analisado para o cálculo da simulação é o carro. Um critério bastante utilizado é a famosa tabela FIPE, feita pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, número utilizado pelas seguradoras para determinar o valor do automóvel no mercado.

A partir do momento que se sabe o valor do bem, o cálculo do seguro se torna possível. Porém, além disso, também há informações pessoais que são utilizadas. Isso significa que duas pessoas que tenham exatamente o mesmo carro podem receber cotações bem diferentes para as mesmas coberturas e seguradoras.

Quem já fez algum seguro para carro sabe como este é um processo que costuma ser complicado. Exige-se uma série de detalhes como a idade do condutor, o endereço da garagem em que o carro fica e a finalidade do uso do automóvel.

Acontece que o simulador de seguro de carro nem sempre é tão eficiente assim, já que não são solicitadas exatamente todas as mesmas informações do momento da contratação, o que pode fazer o valor mudar para menos ou para mais.

Isso é até compreensível, já que não é viável solicitar uma série de dados pessoais para conseguir oferecer um valor estimado, o que costuma ser deixado apenas para a formalização. É por isso que os preços são aproximados e podem variar.

Porém, ainda assim, a situação não é a ideal. Quando pensamos em um bom planejamento, qualquer diferença em valores, mesmo que pequena, pode ser prejudicial para o resultado.

Só para ter uma ideia, o mercado de seguros de automóveis movimentou R$ 14,577 bilhões no Brasil apenas nos cinco primeiros meses de 2019, de acordo com a Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg).

Em média, são R$ 96,536 milhões por dia, R$ 4,022 milhões por hora e R$ 67,039 mil por minuto gastos apenas em seguros automotivos. Fala sério, com cifras tão grandes, é de se esperar que a procura por simulador de seguro de carro também seja grande, não é?

Logo, mesmo que o cálculo tradicional da simulação dos seguros não seja uma fonte absolutamente confiável, ela ainda deve ser usada por um bom tempo.

Existe outra alternativa para o simulador de seguro de carro?

Sim, embora ela passe, na verdade, para uma modalidade diferente: o seguro para carros Pay Per Use.

Este é um método bem diferente de seguro, que apresenta uma cobertura tão ampla como as melhores apólices do mercado. O ponto em que as coisas mudam é um dos que mais importam para os clientes: a cobrança.

Basicamente, há uma mensalidade fixa a ser paga pelos usuários, a qual é acrescida de valores variáveis, embora estes sejam relacionados à quilometragem que o carro percorreu naquele período. Logo, quem usa menos o carro também paga menos de seguro!

Homem dentro do carro olhando carteira vazia

Há detalhes que também entram no cálculo, como o endereço em que o carro dorme, o fato de ter ou não kit gás, ser blindado e a idade dos condutores, mas os clientes sabem que sempre terão aquele valor fixo. Se não utilizarem o carro pelo mês inteiro, apenas tal valor será pago.

O que muda no seguro Pay Per Use é a cobrança de um determinado valor por quilômetro rodado, que em boa parte dos veículos é de centavos – literalmente. Dessa forma, não é preciso pagar um valor absurdo de seguro para o carro passar mais tempo na garagem do que nas ruas!

Além disso, trata-se de um seguro auto online, conceito que tende a crescer muito com o passar do tempo. Aliás, produtos digitais já estão em franca expansão, dos apps de transporte aos bancos virtuais, o que é excelente para os consumidores.

Como fazer a simulação do seguro Pay Per Use?

Para isso, você pode utilizar a calculadora do seguro auto Pay Per Use da ThinkSeg, uma seguradora parceira da MAPFRE, a maior em seguros de bens da América Latina.

A calculadora é bem simples: basta colocar o valor do seu carro pela tabela FIPE e aguardar alguns instantes. O valor fixo aparecerá na tela e, a partir de então, basta preencher as informações adicionais. O processo é bem rápido, de verdade.

No final, você também saberá qual é o valor cobrado por km rodado com o seu carro. Assim, pode comparar com seu uso mensal do carro para chegar à conclusão de quanto terá que pagar pelo seguro.

Sobre o valor do seguro Thinkseg

O valor recebido ao usar o simulador de seguro de carro da ThinkSeg pode espantar positivamente, é verdade. A empresa tem como objetivo oferecer o que há de melhor aos seus clientes, o que também passa por um valor que cabe no orçamento.

A proposta é a de cobrar um valor proporcional ao uso, já que quem usa mais o carro também tem maior probabilidade de se envolver em alguma colisão ou mesmo ser vítima de roubo ou furto, o que também deve entrar no cálculo.

Ah, é importante ressaltar que o valor fixo observado no simulador de seguro de carro nunca muda. A variação se dá apenas de acordo com os quilômetros rodados no mês, beleza?

Este cálculo, inclusive, é feito através de uma tecnologia exclusiva de telemetria com inteligência artificial. Ela usa o seu smartphone para identificar quando está dirigindo seu carro e, com isso, contabilizar os kms rodados.

Tal recurso entende quando você está usando outros meios de transporte, como bicicleta, patinete, aplicativo de transporte, ônibus ou metrô. Ou seja, pode ficar tranquilo que o cálculo é bem preciso.

No final das contas, quem busca superar os desafios da mobilidade urbana através de transportes alternativos ganha em saúde e ainda por cima economiza na cobrança do seguro. Quer coisa melhor?

Conheça mais sobre o seguro auto Pay Per Use da ThinkSeg, onde você também encontrará o simulador de seguro de carro. Saiba quanto vai pagar por mês, com uma cotação super precisa para você.

E aí, você já teve problemas com outros simuladores de seguro? Estimou um valor e recebeu uma cotação bem diferente do que esperava? Deixe sua opinião aqui nos comentários e até mais!

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

Saiba como funciona o seguro para carro elétrico
Depois de bater recordes no último ano, a venda de carros eletrificados segue em alta em 2022. Houve uma...
Seguro cobre parabrisa quebrado?
Você está dirigindo na estrada e, de repente, escuta um estalo e percebe que uma pedra atirada por um...
Veja como evitar contratar um seguro auto pirata
Nos anos 1980, o comercial do xampu anticaspa Denorex ficou famoso pelo slogan “Parece remédio, mas não é”. Na...
Por que todos os motoristas nos Estados Unidos têm Seguro Auto?
Há vários anos, a porcentagem de veículos com algum tipo de seguro no Brasil está em torno dos 30%....
Proteção veicular: o que é e qual a diferença para um seguro tradicional?
Nos últimos anos, popularizou-se no Brasil a chamada proteção veicular como uma alternativa mais econômica ao seguro auto convencional....
Conheça o inDriver: app de Mobilidade Urbana que te dá liberdade de escolha
Presente no Brasil há cerca de três anos, o inDriver é mais uma opção de aplicativo de transporte individual....