Auto

Você sabe como dirigir carro manual? Aprenda os truques

Compartilhe em:

carro manual

Apesar de os carros automáticos já representarem pouco mais da metade das vendas de modelos zero quilômetro no Brasil, no mercado ainda predomina o carro manual. Não há dúvidas de que os automáticos são muito mais fáceis e confortáveis de serem dirigidos, especialmente nas congestionadas metrópoles.

Entretanto, por mais que sejam práticos, os modelos automáticos são meio anestesiados. Portanto, essa característica faz com que o carro manual ainda tenha uma legião de fãs que apreciam uma tocada mais viva e esportiva, além de uma maior interação com o carro. 

Pergunte a um entusiasta de automóveis qual a sensação de encarar uma estradinha de serra cheia de curvas com um carro manual. Pode ter certeza que sua primeira reação vai ser um largo sorriso. O controle da embreagem, as esticadas de marcha, as reduções nas entradas de curva e o som (sinfonia) do motor são capazes de injetar grandes quantidades de adrenalina e endorfina na corrente sanguínea dos fãs de automóveis.

Mas dirigir um carro manual tem seus segredos. Eles vão desde condução econômica, aproveitamento da inércia, passando pela preservação da embreagem e uso do freio-motor para poupar o sistema de frenagem. Venha com a gente descobrir o quão divertido e prático pode ser um carro manual.

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

1- Embreagem não é vilã

O controle da embreagem é o maior desafio para quem está aprendendo a dirigir. Composta por um disco de fricção, pelo platô e por um rolamento, a embreagem tem como função desacoplar o motor do câmbio para que o motorista possa trocar a marcha.

As saídas em primeira marcha com o carro manual costumam ser problemáticas no início. Portanto, pode demorar um pouco até que o novo motorista consiga equalizar a força aplicada ao pedal acelerador com o tempo de acionamento da embreagem.

Se acelerar pouco, o motor não gera torque suficiente para colocar o carro em movimento e “morre”. Porém, se acelerar demais, o carro pode destracionar, ganhar velocidade rapidamente e colocar em risco os ocupantes.

Não existem dicas ou macetes. O correto controle da embreagem de um carro manual vem com a prática. As trocas de marchas seguintes geralmente são mais fáceis, uma vez que o carro já está em movimento.

2- Cuidando da embreagem

O maior inimigo da embreagem é o calor. Se ficar sempre superaquecido, o conjunto vai durar menos da metade de sua vida útil. E como a embreagem superaquece? Quando o motorista esquece o pé em cima do pedal.

Seja utilizando-o como apoio do pé esquerdo quando o carro está em movimento, ou “segurando” o carro na embreagem quando parado em aclives à espera de semáforo verde. Os vícios de condução do motorista mal treinado são os maiores responsáveis pelo desgaste.

Lembre-se: a embreagem deve ser acionada sempre até o fim do curso do pedal, somente nas arrancadas, nas trocas de marcha e quando o veículo estiver quase parado. Portanto, qualquer uso além destes é prejudicial para o componente.

3- Suavidade é o segredo

O acionamento da embreagem e as trocas de marcha devem ser suaves. Trancos ou uso da força só danificam os componentes e não trazem vantagem alguma. Assim, para aqueles que apreciam uma condução mais esportiva, é possível fazer trocas rápidas e ao mesmo tempo delicadas.

4- O momento certo de trocar a marcha

O tempo certo para trocar as marchas também vem com a prática. Para ajudar, o manual do proprietário do veículo traz as velocidades ideais para cada marcha. O importante é não esticar demais e nunca deixar o ponteiro do conta-giros – que indica as rotações do motor – entrar na faixa vermelha.

5- Condução econômica

Com os preços dos combustíveis nas alturas, qualquer economia é muito bem-vinda. E carro manual é um baita aliado do baixo consumo. O câmbio automático faz muitas reduções de marcha e consequentemente abusa das rotações mais altas. Já a caixa manual permite trafegar em marchas mais altas com giros baixos. Portanto, quanto menores as rotações do motor, menor o consumo de combustível.

Outra peculiaridade do carro manual é que ele permite um melhor aproveitamento da inércia. Em um declive, por exemplo, é possível utilizar uma marcha alta e descer sem acelerar. Fazendo isso, o motor corta a alimentação de combustível e utiliza o próprio movimento dos pistões e do virabrequim para continuar funcionando.

Chamado cut-off e gerenciado pela central eletrônica do carro, esse sistema também existe nos carros automáticos. Porém, muitas vezes o câmbio faz reduções e eleva as rotações do motor, prejudicando o consumo.

6- Os freios agradecem

Os freios do carro manual têm uma durabilidade maior do que a do automático. A razão é que é possível aproveitar melhor o freio-motor, que é quando o motorista tira o pé do acelerador e instantaneamente a velocidade começa a ser reduzida. Nos carros automáticos a atuação do freio-motor é mais discreta.

Outro fator preponderante é a possibilidade de fazer reduções de marchas durante as frenagens do carro manual. Isso aumenta ainda mais o trabalho do freio-motor e reduz o do discos e pastilhas de freio.

7- Carro manual e protegido

Dirigir um carro manual pode ser muito prazeroso, além de permitir uma ligeira vantagem financeira. Portanto, falando em economia, saiba que é possível gastar bem menos com o seguro do carro?  No Pay Per Use da ThinkSeg, você paga somente quando usa o carro.

É tudo muito simples. Um aplicativo faz toda a telemetria, calcula a quilometragem mensal e distingue o meio de transporte que você está usando (o próprio carro, aplicativos de transporte, ônibus, bicicleta ou a pé).

Pelo app, você tem todas as informações do seu seguro, além de acesso a assistência 24 horas e outras funcionalidades. Além disso, outra vantagem é que você faz a contratação, a vistoria do carro e o cancelamento da apólice pelo próprio celular, sem necessidade de ligações ou atendimento pessoal. 

Proteção completa

O Pay Per Use aceita veículos com valor mínimo de R$ 20 mil e máximo de R$ 300 mil – inclusive blindados e importados. A cobertura é completa. Contempla, entre outras situações, indenização integral e parcial decorrente de:

  • Colisão;
  • Incêndio;
  • Roubo;
  • Furto;
  • Desastres da natureza; 
  • Cobertura para danos materiais e danos corporais decorrentes de acidentes com terceiros. 

Além disso, no seguro pago por uso há coberturas adicionais para:

  • Vidros, faróis, lanternas, retrovisores;
  • Opção de carro reserva por tempo ilimitado;
  • Oficinas e serviços de socorro mecânico, guincho, reboque e reparos gerais. 

Nas indenizações integrais, o Seguro Auto Pay Per Use utiliza a tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Carro manual ou automático. Independentemente de sua escolha, o importante é andar sempre com o seguro em dia e, melhor ainda, pagando um valor justo. É o que o Pay Per Use oferece para você! Faça uma cotação online e descubra a economia.

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

20 carros mais sustentáveis nos dias de hoje
Segundo dados do Relatório de Emissão Veiculares da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), os carros são...
Saiba como consultar pontuação da CNH
Entre as novas leis do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), em vigor desde o dia 12 de abril de...
Tabela Fipe: O que é e como influencia no preço do seguro?
Seja na hora de comprar ou vender seu carro, seja na hora de fazer o seguro, você já deve...
4 motivos para realizar a manutenção preventiva do seu carro!
Se você é daqueles que têm pavor de ficar parado na rua com o carro quebrado, preste atenção: fazer...
Álcool ou gasolina: como calcular o custo de viagem de carro?
Não parece, mas em 2023 vão se completar 20 anos do lançamento do primeiro carro bicombustível brasileiro. Até a...
5 vantagens dos veículos autônomos
Nos últimos 20 anos, o mundo viveu uma verdadeira revolução tecnológica. No começo dos anos 2000, a internet ainda...