Thinkseg
Auto

Vícios de direção que prejudicam o carro

Compartilhe em:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
vícios de direção

Confira 14 dos maiores vícios de direção que estão acabando com a vida útil do seu veículo!

Os carros modernos são projetados e construídos para rodar por milhares de quilômetros. Para isso, eles apresentam uma série de sensores e sistemas para alertar os motoristas sobre problemas ou falhas iminentes.

No entanto, alguns vícios de direção podem encurtar seriamente a vida útil do seu automóvel. A boa notícia é que esses hábitos que podem ser mudados.

Confira alguns dos costumes mais comuns e comece a mudar seus comportamentos na próxima vez que for dirigir. Confira!

1 – Apoiar a mão no câmbio

Seja manual ou automático, manter a mão direita sobre a alavanca de câmbio não é legal. É ruim para o sistema de transmissão do veículo.

A alavanca de câmbio é conectada a um garfo seletor, que é projetado para fazer contato com um colar giratório por um curto período. Portanto, se você apoiar a mão na alavanca de mudanças, corre o risco de aplicar pressão no garfo seletor, causando desgaste prematuro.

2 – Passar por cima de lombadas e quebra-molas

O impacto contra quebra-molas pode causar rodas deformadas, caroços no pneu e ligas rachadas, além de prejudicar o alinhamento e a suspensão do carro.

Passar uma lombada sem diminuir a velocidade pode causar danos à parte dianteira e traseira do carro, à parte inferior e, potencialmente, ao sistema de escapamento.

3 – Sair com o motor frio

Enquanto está estacionado durante a noite, o óleo do motor sucumbe à gravidade e se estabelece no ponto mais baixo possível. Acelerar o motor descontroladamente após a partida faz com que não haja tempo para circular corretamente, o que significa que pode haver atrito de metal contra metal que causa atrito.

4 – Pisar fundo demais no acelerador na marcha errada

Um dos vícios de direção mais conhecidos. Todos nós provavelmente já sentimos a frustração de um carro agonizantemente lento fazendo um esforço tremendo para passar outro veículo. 

Para evitar as chances de passar por uma situação semelhante, antes de iniciar o processo de ultrapassagem, mude uma marcha para baixo e permita que as rotações aumentem antes de acelerar. 

Isso é particularmente importante ao transportar cargas pesadas ou ao subir colinas. Acelerar em uma marcha muito alta significa que o motor está trabalhando mais, colocando uma tensão desnecessária sobre ele. 

6 – Dirigir com muito peso

É bastante simples, mas algo que acontece em uma base regular. Sobrecarregar o veículo coloca pressão desnecessária sobre os freios e a suspensão. Além disso, há um aumento do consumo de combustível e provavelmente as emissões de escapamento.

6 – Engatar a ré antes de parar o carro

Estar com pressa não é uma desculpa para engatar a ré antes que o carro pare completamente.

A caixa de câmbio foi projetada para mudar de marcha e não para parar o carro. Engatar a ré antes de parar causará desgaste na transmissão, o que pode ser caro.

7 – Negligenciar luzes de aviso

vícios no volante luzes de aviso

É surpreendente como muitas pessoas não sabem realmente o que significam todas as luzes no painel – e esses são indicadores vitais de saúde.

Certifique-se de saber o que significam lendo o manual de operação fornecido com o carro. Isso é de extrema importância já que, se afetarem o motor, sistema de freios, direção hidráulica, airbags, pressão de óleo ou sistema de refrigeração, você pode precisar consultar um mecânico.

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

8 – Vício de direção de frenagem brusca

Há uma enorme diferença entre uma parada de emergência e frenagens bruscas recorrentes. Esta última coloca uma grande pressão nos freios, desgastando as pastilhas e discos muito mais rápido.

É muito melhor para os motoristas olhar para frente e antecipar, reduzindo a velocidade do carro de forma suave.

9 – Frear demais durante descidas

Tão prejudicial quanto a frenagem brusca é a prática de “arrastar” os freios. Isso significa que os freios estão constantemente acionados durante uma descida, em vez de o motorista reduzir uma ou duas marchas para permitir que a frenagem com o motor controle a velocidade.

Ao descer uma ladeira, é melhor engatar uma marcha baixa, aplicar um pouco de frenagem leve e, em seguida, soltar o pedal para permitir que os freios esfriem.

10 – Não deixar o turbo resfriar

Embora a tecnologia continue melhorando os motores, um processo simples de cuidado com um turboalimentado é levar alguns segundos e manter o motor em marcha lenta antes de desligar. 

Os turbocompressores funcionam a velocidades incrivelmente altas. Essa ação permite que as lâminas diminuam a velocidade suavemente, baixem a temperatura da unidade e expulsem a maioria dos gases de escape do sistema.

11 – Mudar para uma marcha menor em alta velocidade

Normalmente, mudar para uma marcha mais baixa nos momentos certos é tido como um bom hábito. Porém, fazer isso no momento errado também pode causar desgaste excessivo ou danos ao motor.

Pular algumas marchas durante a redução em alta velocidade pode ter um impacto negativo no motor e na transmissão. 

A rotação aumenta repentinamente em marchas mais baixas e pode ser perigosa para o carro. Para salvar o motor de altas rotações, os fabricantes incluem sensores de corte do motor. 

Se a rotação do motor atingir um determinado limite, ela pode ser cortada e o carro pode parar completamente, em alguns casos. Também pode causar patinagem das rodas e deixar o veículo fora de controle.

12 – Dirigir com o tanque vazio

O custo do combustível é exorbitante e provavelmente continuará aumentando. No entanto, dirigir com o tanque consistentemente próximo ao vazio coloca uma grande pressão na bomba de combustível. Isso pode causar superaquecimento ou falha. 

Uma regra prática é tentar manter o tanque cheio pela metade o tempo todo.

13 – Apoiar o pé na embreagem

Pode ser confortável descansar o pé contra o pedal da embreagem. Mas ficar apoiado é simplesmente colocar uma grande pressão no conjunto da embreagem e rapidamente encurtar sua vida útil.

14 – Não seguir o cronograma de manutenções

A programação de serviços sugerida pelo fabricante é baseada em engenharia precisa e complexa. Certas peças precisam de verificação ou substituição regular – não seguir isso pode resultar em quebras ou até mesmo danos caros.

Para tentar se prevenir contra situações causadas por problemas na manutenção do seu veículo, você pode sempre contar com soluções de seguro auto pago por uso. Dessa forma você protege sua família e seus bens em caso de imprevistos.

Agora que você viu nossa lista de maus hábitos que podem afetar seu veículo, compartilhe  quais desses vícios de direção você precisa mudar.

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

Carros autônomos: o que são, como funcionam e mais!
A indústria automobilística já deu um passo à frente com o desenvolvimento dos carros elétricos, cujas vendas estão crescendo...
Saiba como funciona o seguro para carro elétrico
Depois de bater recordes no último ano, a venda de carros eletrificados segue em alta em 2022. Houve uma...
Projeto de lei quer dispensar autorização do Detran para a customização de carros
Quase todo entusiasta de automóveis gosta de deixar o carro com “a sua cara”. A customização e personalização é...
Brasil comemora o Dia do Automóvel em 13 de maio
Todo dia 13 de maio é comemorado no Brasil o Dia Nacional do Automóvel e da Estrada de Rodagem....
Como Londres está usando taxas em estradas para combater a poluição e a desigualdade
Berço da Revolução Industrial, a cidade de Londres sempre sofreu com a poluição. Nas últimas décadas, contudo, as emissões...
Ao vender o carro, posso transferir o seguro?
Ao trocar de carro, é muito comum o segurado não saber exatamente o que fazer em relação ao seguro...