Mobilidade

Motos elétricas mais baratas do Brasil em 2022

Compartilhe em:

motos elétricas mais baratas

Os carros eletrificados (híbridos + elétricos) vivem um boom no Brasil, com um crescimento de 78% nas vendas. Porém, melhor momento vivem as motocicletas elétricas, que cresceram nada menos do que 878% nos seis primeiros meses de 2022 em comparação ao ano anterior. As informações são da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Os motivos para tamanho crescimento são fáceis de entender. Além da conscientização ambiental da sociedade, pesaram os constantes aumentos da gasolina no país. Outro fator importante é o fato das motos elétricas custarem o mesmo que as com motores a combustão, ao contrário do que acontece nos carros e utilitários (muito mais caros). Mas quais são as motos elétricas mais baratas?

Ninguém quer ficar de fora

Com este aumento robusto, ninguém quer ficar de fora. O número de opções vêm crescendo rapidamente, com novas marcas e modelos chegando ao mercado. Hoje é possível comprar uma moto elétrica com pouco mais de R$ 10 mil e optar por diferentes marcas e estilos.

Separamos as 10 motos elétricas mais baratas do mercado brasileiro em 2022. Foram consideradas todas as motocicletas ou scooter ‘tradicionais’, com design e desempenho próximo dos veículos a combustão vendidos pelas principais montadoras do país.

Motos elétricas mais baratas

1º- Shineray SE3 – R$ 13 mil

É a moto elétrica mais barata do Brasil e custa R$ 13 mil. O scooter tem motor elétrico de 2kW (2,7 cv) é alimentado por uma bateria de 72V/32Ah de chumbo. O Shineray SE3 atinge uma velocidade máxima de 50 Km/h, seu tempo de recarga é de oito a dez horas e a autonomia chega aos 80 quilômetros.

2º e 3º – Shineray SE1 e SE2 – R$ 14 mil

Os modelos SE1 e SE2 da Shineray custam os mesmos R$ 14 mil. Estão entre as motos elétricas mais baratas. A diferença de preço em relação ao SE3 se deve às baterias de lítio, que são mais leves e têm tempo de recarga menor (seis a oito horas). Em contrapartida, a autonomia é 20 quilômetros menor. Ambas têm o mesmo motor:  2.3kW de potência (3,1 cv).

4º – Voltz EV1 Sport – R$ 15 mil

Apesar de não ser o mais barato, o scooter Voltz EV1 é o mais vendido do Brasil, com pouco mais de 2 mil unidades emplacadas em 2022. Por R$15 mil, o EV1 vem equipado com um motor de 3 kW (4 cv) e bateria de 60V. Isso lhe dá uma autonomia de 100 quilômetros (uma segunda bateria opcional dá mais 80 km) e velocidade máxima de 60 km/h. O tempo de recarga total é de até cinco horas.

5º –  Shineray She-S – R$ 19,3 mil

A She-S custa R$ 19,3 mil e é a primeira motocicleta da lista. Possui porte e desempenho das motos de baixa cilindrada com motor a combustão. Tem 3kW (4 cv) e bateria de lítio de 75V com tempo de recarga total de três a cinco horas e autonomia de 80 quilômetros. A velocidade máxima da She-S é de 90 km/h.

6º – Voltz EVS – R$ 20 mil

Além do scooter, a Voltz tem também a moto elétrica mais vendida do Brasil e também está entre as motos elétricas mais baratas. Com mais de 800 emplacamentos em 2022, a Voltz EVS custa R$ 20 mil, tem motor com os mesmos 3kW (4 cv), mas com pico de potência em 7kW (9,5 cv). A bateria de lítio de 72V oferece uma autonomia de até 120 quilômetros (180 km com a bateria extra opcional) e tem tempo de recarga total de cinco horas. A EVS tem máxima de 120 km/h e conta com um sistema conectado a um smartphone que monitora possíveis problemas com a moto.

7º – Watts 125 – R$ 20 mil

A Watts custa o mesmo que a rival EVS, tem motor com a mesma potência de 3 kW (4 cv) e bateria de 72V com recarga completa em cinco horas. Sua autonomia, contudo, é de apenas 75 quilômetros (por mais R$ 4 mil,  a bateria extra dá 150 km de autonomia) e a velocidade máxima para nos 95 km/h.

8º – Super Soco TC –  R$ 22 mil

Produzido por uma dos mais tradicionais fabricantes de motos elétricas do mundo, a TC é a mais barata da Super Soco no Brasil e custa R$ 22 mil. São 100 quilômetros de autonomia, motor de 1,9 kW (2,5 cv) e 90 km/h de velocidade máxima. Destaque para o visual retrô inspirado nas motos cafe racer, porém com elementos modernos

9º – Energie Mobi Cux – R$ 25 mil

O Cux também leva a assinatura da Super Soco e conta com motor de 2.7 kW (3,6 cv) e bateria de lítio removível de 60V. Com uma autonomia de 70 quilômetros, esse scooter pode atingir 65 km/h de velocidade máxima. Mais uma na lista das motos elétricas mais baratas.

10º – Super Soco TC Max – R$ 35 mil

A TC Max segue o estilo da TC, porém leva vantagem na ficha técnica. Seu motor rende 4,9 kW (6,6 cv) e tem torque de 17.3 kgfm e leva a moto a uma velocidade máxima de 110 km/h. Sua bateria de íons de lítio de 72V, consegue alcançar uma autonomia de 140 quilômetros e tem um tempo de recarga total de sete horas.

Escolha o modelo e a marca certa de pneu de bicicleta
As bicicletas, que já estavam em alta nos últimos cinco anos, explodiram na pandemia de Covid-19, que parou o...
Será que seguro de bike é caro?
Tudo começa com uma bicicleta de entrada, sem grandes expectativas, apenas para fazer uma atividade física. Em pouco tempo,...
Como mostrar as ciclovias no Google Maps?
Apesar de apenas 7% da população brasileira usá-la como meio de transporte, aos poucos a bicicleta vai ganhando mais...
O que são as ghost bikes?
Quem circula, principalmente pela cidade de São Paulo, já deve ter avistado alguma bicicleta inteiramente pintada de branco estacionada...
Alta do diesel pode deixar cidades sem ônibus, dizem empresas
Com os seguidos aumentos no preço do diesel, álcool ou gasolina, o transporte público das cidades de todo o...
Dia do Motociclista é comemorado em 27 de julho
Desde 1984, no Brasil, todo dia 27 de julho é celebrado o Dia do Motociclista. A data comemorativa faz...