Thinkseg
Seguro
Auto

Proteção veicular: o que é e qual a diferença para um seguro tradicional?

Compartilhe em:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
seguro veicular

Nos últimos anos, popularizou-se no Brasil a chamada proteção veicular como uma alternativa mais econômica ao seguro auto convencional. Em pouco tempo, surgiram centenas de empresas oferecendo coberturas e serviços parecidos, porém com preços muito mais baixos. E, o principal, dispostas a aceitar o risco recusado pelas seguradoras tradicionais. Mas você sabe como funciona este tipo de proteção? É a mesma coisa que o tradicional seguro veicular?

COTAR SEGURO AUTO MÃO NA RODA

Um por todos e todos por um

A proteção veicular é, na realidade, uma cooperativa de seguros. Um grupo de pessoas paga uma mensalidade e uma empresa administra o fundo e pode ajudar os cooperados em caso de sinistros. Ou seja, as despesas são divididas por todos. Se houver muitos sinistros e o fundo não for suficiente, não há garantias de que o cooperado irá receber.

As coberturas são iguais?

As coberturas e serviços oferecidos aos clientes no seguro veicular são iguais aos dos seguros convencionais. Estão disponíveis proteção contra:

  • Colisão;
  • Roubo;
  • Furto;
  • Danos;
  • Assistência 24 horas;
  • Carro reserva;
  • Indenização para terceiros;
  • Proteção dos vidros;
  • Rastreamento e monitoramento;
  • Descontos para os associados em empresas e prestadores de serviços.

Contudo, por não serem fiscalizadas pela SUSEP (veja abaixo), as cooperativas não precisam seguir nenhum tipo de regra na hora de reparar ou indenizar o cooperado ou os terceiros envolvidos no sinistro. As seguradoras, ao contrário, devem ter um padrão de atendimento que atenda às normativas impostas pela SUSEP.

Susep considera a proteção veicular irregular

Outro aspecto a ser levado em consideração é que as cooperativas de proteção veicular não são reconhecidas pela Superintendência de Seguros Privados, a SUSEP, que considera a prática irregular. Ao contrário das companhias de seguro veicular tradicionais, a entidade não faz qualquer tipo de acompanhamento técnico e não dá suporte aos cooperados em caso de problemas.

O órgão afirma que a atuação dessas associações e cooperativas só pode ser considerada legal se elas forem estipulantes de contratos de seguros. Neste formato, a empresa de proteção veicular contrata apólices coletivas de seguros de companhias seguradoras devidamente autorizadas pela Susep e passam a representar os cooperados É igual às apólices coletivas que algumas empresas oferecem aos seus funcionários. 

O Procon (Programa de Proteção e Defesa do Consumidor) recomenda que, na hora da contratação de qualquer tipo de proteção ou seguro veicular, o consumidor observe se há um corretor habilitado pela Susep para atuar no segmento de seguros. Esta é uma garantia de respaldo se algum imprevisto acontecer durante o processo.

Fique atento e consulte a reputação da empresa

É importante ler atentamente o contrato e as condições oferecidas pelas cooperativas de seguros antes de contratar a proteção. Inclusive se há a cobertura de uma apólice coletiva de uma seguradora filiada à Susep. Também vale a pena fazer uma busca no Google para ver a avaliação da empresa, bem como consultar o site Reclame Aqui para conferir a sua reputação.

Comparativo entre cooperativas e seguradoras

Apesar das semelhanças nas coberturas e nos serviços oferecidos aos clientes, cooperativas e companhias de seguro veicular têm formas distintas de operar. Separamos as principais diferenças entre elas. Confira:

APÓLICE

  • Proteção veicular: não existe uma apólice e todos os riscos são divididos entre cooperados.
  • Seguro auto: gera uma apólice, que na realidade é um contrato que especifica todos os direitos e deveres do segurado e da seguradora.

PRÊMIO

  • Proteção veicular: considera somente as características do carro, sem levar em conta o risco a que o cliente se expõe. A precificação da proteção depende do número de sinistros ocorridos entre os cooperados. Quanto mais ocorrências, maior o rateio.
  • Seguro Auto: o prêmio, que é valor cobrado pela seguradora para assumir os riscos do seu carro,  é calculado levando em conta as características do carro, perfis do condutor principal e dos motoristas adicionais e locais percorridos pelo veículo.

COBRANÇA

  • Proteção veicular: o cooperado paga uma mensalidade composta por uma taxa de administração fixa mais o rateio mensal de todos os prejuízos com os carros da cooperativa no mês anterior.
  • Seguro Auto: o pagamento é feito em uma única cota ou em parcelas pré-fixadas.

RESERVA DE RECURSOS

  • Proteção veicular: não há uma reserva de recursos e, em acidentes de grandes proporções causados pelos cooperados. Não há garantia de indenização e o valor do rateio pode ser bem alto.
  • Seguro Auto: a SUSEP exige que as companhias tenham reservas de recursos para operarem.

REGULAMENTAÇÃO

  • Proteção veicular: as empresas e cooperativas não são regulamentadas por leis e nem são fiscalizadas por nenhum órgão governamental.
  • Seguro Auto: as companhias seguradoras são regulamentadas e aprovadas pelo Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), além do órgão do Ministério da Fazenda que fiscaliza o mercado de seguros.

Aqui valem os velho ditados “o barato saiu caro” e “o seguro morreu de velho”. Muitas vezes, o cliente é atraído pelo preço mais baixo das empresas de proteção veicular sem levar em conta que participa das despesas com indenizações. As cooperativas também não são fiscalizadas pela SUSEP, o que pode representar problemas futuros na hora de fazer alguma queixa ou reclamação.

COTAR SEGURO AUTO MÃO NA RODA

Porsche ou BMW? Conheça empresas que oferecem planos de aluguéis de carros de luxo por uma hora ou meses
Você é louco por marcas de carros famosas, porém não tem condições de estacionar um modelo de luxo, um...
O que é e como funciona o cartão de combustível
Quem tem ou administra frotas de veículos, sejam elas pequenas, médias ou grandes, já deve ter ouvido falar no...
Rodas grandes: desempenho ou só estética?
Não dá para negar que um belo jogo de rodas faz toda a diferença no carro. Prova disso é...
A cor do seu carro pode afetar o preço do seu seguro?
Uma das partes mais legais de comprar um modelo zero quilômetro é poder escolher a cor do carro. Muito...
12 que você não pode deixar de ter dentro do carro
Foi-se o tempo em que se levava apenas luvas no porta-luvas. Não que elas não sejam importantes (já experimentou...
Os cinco melhores carros bons e baratos para jovens
Pode parecer que não, mas o público jovem está entre os mais exigentes quando o assunto é escolher carro....