Financiar carro: veja o método mais seguro para você

Antes de fechar negócio, é importante que você escolha a opção de parcelamento que esteja de acordo com seu perfil

A compra de um carro passa por várias fases. A primeira delas diz respeito ao tempo que a gente passa pesquisando modelos, cores, design, tipo de motor melhor custo-benefício entre outros.

Depois, é hora de colocar o pé no chão e focar nos preços, ano de fabricação e condições de pagamento. Nessa hora, um leque de opções se abre a respeito da modalidade mais viável para o financiamento de carro.

Não é a toa que muitas dúvidas surgem a respeito do melhor método. Se você está pensando em financiar um automóvel, veja como funcionam as diferentes modalidades dessa forma de pagamento e descubra a que está de acordo com seu perfil. 

Conforto e qualidade de vida

Nos dias atuais, ter um veículo próprio é muito mais do que status. Muitas pessoas acabam adquirindo um carro porque estão buscando por melhor qualidade de vida, comodidade e conforto.

Para dar conta de um monte de compromissos diários, o automóvel otimiza o tempo e promove maior facilidade de deslocamento. 

Por isso, é importante que esses conceitos estejam presentes em todas as etapas do processo de aquisição. Assim, a compra não vai se transformar em um verdadeiro episódio de dor de cabeça. 

Afinal, estamos nos referindo a um contexto de comercialização de um produto que não é barato. E embora existam carros baratos, a compra de um carro demanda um bom estudo de mercado em relação a tudo, principalmente às condições de financiamento. 

Tipos de financiamento de carro

Como você já deve saber, o financiamento é uma opção de pagamento para quem não possui o valor total do carro que deseja adquirir. Essa condição é disponibilizada por instituições financeiras públicas ou privadas e pode ser realizada de três maneiras:

Crédito Direto ao Consumidor

Na modalidade CDC, você contrata um empréstimo bancário. Seu veículo fica em sua posse, mas permanece alienado até que você pague todas as parcelas.

A alienação é uma garantia que o banco tem de que você irá cumprir com sua parte do acordo, que é quitar as parcelas. Caso isso não ocorra, a instituição poderá recolher seu veículo.

Do ponto de vista financeiro, essa modalidade de financiamento de carro, geralmente, possui juros e taxas menores em comparação às outras. Os valores podem ser fixados no momento da contratação. 

Leasing

Esse tipo de financiamento é fornecido por empresas especializadas no ramo, como bancos ou outras instituições financeiras.  Em linhas gerais, ele funciona como uma espécie de aluguel do veículo. 

No leasing, você paga um valor mensal para ter direito ao uso do carro. Este permanece em nome da instituição que garantiu a negociação até que o valor total do automóvel seja quitado. 

Como você pôde notar, o que difere essa modalidade do CDC é que o veículo não será registrado no seu nome, mas no da empresa da qual você contratou o leasing. 

Casal apertando a mão de vendedor ao fechar um financiamento de carro.

A negociação pode ser feita com intermediação de lojas de carros. É importante que, durante o processo de contratação do leasing, você observe o valor das taxas e qual será o custo fixo de cada parcela. 

Consórcio

Essa modalidade funciona de uma maneira totalmente diferente das duas outras opções citadas. Nesse tipo de financiamento de carro, você participará de um grupo de futuros compradores, administrado por uma empresa especializada.

Todos do grupo devem pagar uma prestação do seu carro, mas, os automóveis serão disponibilizados um a um, em um intervalo de tempo pré-estabelecido no momento da contratação.

A entrega do carro é feita por sorteios. Nesse caso, você terá que contar com a sorte de ser contemplado no período que você desejou.

Diferente das demais opções, no consórcio, as parcelas sofrem alterações durante o período do financiamento. Isso ocorre de acordo com a valorização do carro que você irá adquirir. 

Em relação ao prazo de pagamento, os contratos do consórcio preveem a quitação em um período de, no máximo, 5 anos. Além disso, você deve pagar uma taxa administrativa que se refere ao serviço prestado pela empresa de consórcio. 

O que é preciso para financiar um carro

Você já  pesquisou bastante e decidiu qual é o carro que  deseja? Então o próximo passo é ir até uma instituição financeira, que pode ser um banco ou uma empresa especializada nesse setor, e informar o ano, valor do carro e sua renda.

É importante que você saiba que a aprovação do financiamento e o valor das parcelas serão liberados de acordo com seu perfil financeiro.  Sua renda deve ser suficiente para cobrir as mensalidades. 

COTAR SEGURO AUTO PAY PER USE

Na maioria dos casos, as instituições financeiras fazem o cálculo sobre sua renda total e analisam se é possível comprometer 30% para o pagamento das parcelas. 

Com exceção do consórcio, uma vez que seu perfil é aprovado, a compra do veículo é autorizada e a instituição cede o direito de uso a você. 

Detalhes que fazem a diferença na hora de financiar um carro

Se você tiver um  montante para dar de entrada, o valor do financiamento diminui e, com ele, os juros e as taxas também são reduzidos.

Sempre esteja atento ao melhor custo-benefício em relação às parcelas. Muita gente acha que é vantajoso pagar em mais vezes. No entanto, você deve sempre levar em consideração o valor total que será investido.

Nesse sentido, talvez seja melhor pagar um pouquinho a mais por mês e financiar o carro em menos parcelas do que ter a ilusão de que está pagando menos em um período maior. 

Não decida nada no calor das emoções. Faça quantas simulações forem necessárias para que você seja capaz de negociar o quanto que conseguir e obter maiores benefícios. Sempre tome como base os valores sugeridos pela Tabela Fipe. 

Se possível, adiante suas parcelas. Isso implica em descontos e abatimento de algumas taxas.  Por fim, evite atrasos no pagamento para que não seja necessário pagar multas e mais juros. 

Agora que você já conheceu quais são os tipos de financiamento de carro, escolha aquele que mais se adéqua às suas necessidades e desfrute do seu automóvel da melhor maneira.

Lembre-se de sempre respeitar as leis de trânsito e aderir às atitudes que garantam as diretrizes de mobilidade urbana e não deixe de contratar um seguro auto para o seu veículo!